ARTIGO PUBLICADO NO JORNAL LIG, NITERÓI.
(www.ligjornal.com.br/1585/caderno.htm)

Fernando Mello*
fmello@fariasmelloberanger.com.br

 

Você foi vítima
de um brinquedo
chinês da Mattel?

Quando a gente compra um brinquedo, entre outros cuidados como verificar se é compatível com a idade da criança que iremos presentear, nos preocupamos, ao máximo, com o tamanho das peças. Principalmente se o brinquedo irá para criança com menos de 5 anos, pois temos receio de que elas engulam as peças menores.

Então, vamos ao assunto do momento: brinquedos com ímãs colados de qualquer maneira e pintados com tinta a base de chumbo. Os acidentes, claro, se multiplicaram pelo mundo afora, com crianças enfrentando hospitais e passando por delicadas cirurgias feitas às pressas e outras tantas, com intoxicação proveniente do chumbo.

As bonecas foram fabricadas pela Mattel, mas levam o carimbo de produto chinês.

Sim, caro leitor, os brinquedos foram fabricados na mesma China que não respeita leis basilares como a internacional dos Direitos Humanos da ONU, jamais possuiu leis trabalhistas e que começou a sentir o gostinho do dinheiro grosso há pouco mais de sete anos.

A China tem tradição em fabricar produtos descartáveis, sem qualidade e só consegue vendê-los porque seus preços são muito baixos. Também, convenhamos, sem leis trabalhistas (vulgo trabalho escravo), sem respeitar a propriedade industrial e utilizando expedientes totalmente diferenciados, como fábricas instaladas em navios que, em águas internacionais (onde não vigoram leis chinesas, impostos e etc, claro) fabricam o produto a caminho dos países que a China irá vender ... enfim. Além disso, a China hoje está bastante falada pelos grandes acidentes que nos chegam pela imprensa como, por exemplo, o incêndio ocorrido no “maior prédio do mundo”, que lambeu antes mesmo do término da obra e a ponte que ruiu semanas antes da inauguração. Esses acidentes demonstram bem a qualidade dos produtos e o respeito ao cidadão praticados por aquele país.

Bem, isso tudo chegou aqui com esse recall de brinquedos e que o consumidor deve prestar bastante atenção e seguir as infelizes regras destinadas aos consumidores brasileiros pela Mattel.

As formas de atendimento ao consumidor no Brasil foram as mais ridículas possíveis, chegando mesmo a ser anunciado o prazo de 45 dias para a troca. Enquanto escrevo este artigo, verifiquei uma notícia fresquinha em que já se fala em depósito na conta corrente do consumidor e etc.
A chamada globalização significa também que o produto poderá ser fabricado onde bem entenderem os seus donos. Neste caso, os bonecos deste recall foram fabricados na China, o mesmo país que introduziu no Brasil, há anos, aquelas cadeiras de plástico que foram feitas para agüentar “até 75kg” e que causaram grandes acidentes com quebras e estalos.
No caso dos brinquedos Mattel, o consumidor deverá ligar para o nº 0800 77 01207 ou visitar www.recallmattel.com.br onde há mais informações e umas explicações que tentam nos convencer de que eles estão preocupados com as nossas crianças, porque “também são pais” e etc.
Como consumidor, o leitor deverá verificar se a Mattel está cumprindo os termos do recall e procurar um advogado, caso não consiga solucionar o problema. Outra: faça uma operação furacão, uma verdadeira blitz no quarto das crianças atrás de bonecas ou um dos 39 brinquedos constantes do recall (relação no site acima). Vai ser trabalhoso, mas valerá à pena.
www.fariasmelloberanger.com.br

* Fernando Mello é advogado pós-graduado do escritório Farias Mello & Beranger. Site:
www.fariasmelloberanger.com.br